Festival Burning Man – A Celebração de uma Nova Consciência

Boneco em forma humana é queimado simbolizando o Renascimento através do Fogo.

A cada ano artistas e colaboradores do mundo todo acampam sob o forte calor do final de Agosto no interior da Califórnia (EUA). Em meio a uma paisagem semi-desértica desafiadora, assentam ruas, constróem estruturas que englobam serviços essenciais como informação, assistência médica, segurança e banheiros, montam instalações e esculturas, bares, restaurantes, pistas de dança e outras diversões da Nova Era. Com a música e a imagem em poderosa interação, concebem o conceito de libertação e transmutação que caracteriza o Festival Burning Man.

Em meio ao areial da região desértica do estado de Nevada, durante oito dias mais de 50 mil visitantes passarão por uma experiência única de arte, dança, e especialmente compartilhamento. No festival existe apenas um local em que se vende gelo e café, sendo todas as outras transações monetárias proibidas. Isso mesmo, sem dinheiro. Seguindo uma forma própria de Economia, os ‘Burners’ são pedidos a trazer comida e bebida para si mesmos e também para os outros, política que inspira, por exemplo, distribuições de panquecas 24 horas por dia e festas ‘open bar’.

Na Bacia do São Francisco, na Califórnia, há um forte histórico de incubação de movimentos que, de uma ou outra forma influenciaram as culturas nacionais e internacionais nas últimas décadas. A Geração Beat, por exemplo, foi um grande fenômeno. Ali também se desenvolveram movimentos como o dos hippies e o ‘Verão do Amor’ (Summer of Love), maior mobilização política dos anos 1960, ambos fortemente constrastados pelo surgimento do Vale do Silício na mesma região e pelo materialismo desenfreado que o acompanhava.

É este caminho que segue o Burning Man, deixando para trás o passado obsoleto e criando novas soluções que trazem uma verdadeira comunhão entre os indivíduos. Trabalhando em prol da conscientização sobre a Sustentabilidade como a resposta para a degradação ambiental trazida com as indústrias e o capitalismo descontrolado, o Festival conta com inúmeras atividades e apresentações, desde arte visionária até vivências e palestras holísticas e espirituais, além de música psicodélica ao-vivo e eletrônica também.

Na celebração há um momento importante em que é queimado um grande boneco na forma de um ser humano, simbolizando a renovação e o processo de superação que os participantes têm de atravessar no Burning Man. O festival funciona como uma motivação para as pessoas, trazendo chaves que podem abrir a porta para os aprendizados sobre como vivermos melhor, em harmonia uns com os outros e com o Planeta. Os Burners certamente saem dali transformados, formando relações pessoais significativas e criando forças para a realização de projetos maiores, como consequências da experiência.


Curta também algumas Fotos do Festival de tirar o fôlego:

Produção: Central de Notícias Casa Jaya

Fonte: Tikkun Magazine

Dúdivas e Sugestões: noticias@casajaya.com.br