Oficina de Shantala

Oficina de Shantala

 

Oficina de Shantala para gestantes, casais e bebês!

 

Shantala é uma massagem oriental para bebês. Originária da Índia, onde é tradicionalmente passada de mãe para filha. A finalidade principal dessa massagem é desenvolver a interação e o vínculo entre pais e filhos, pois seu toque sutil e carinhoso é capaz de romper cadeias de tensões, bloqueios, nódulos, prevenindo neuroses e problemas futuros. Alivia cólicas e insônias, equilibrando o bebê física, emocional e energeticamente.
O toque de amor e o contato proporcionam um momento de troca carregado de significado para pais e filhos.

 

Data: 26 de Novembro (Segunda-feira)
Horário: 19h às 21h
Para inscrição mande e-mail para: oliviabara.zoi@gmail.com
Valor: R$ 90,00

 

A importância do toque para bebês

 

“Nos primeiros anos de vida do ser humano o elo entre mãe/pai e filho vai se estabelecendo de diversas maneiras através do contato, da fala, do encontro, mas, principalmente, a partir do toque. Segurar a criança no colo, amamentá-la, dar carinho e embalá-la são maneiras de o adulto criar intimidade com o bebê. A linguagem corporal é de extrema importância no começo da vida: a pele é o nosso maior órgão sensorial e o tato é o sentido mais desenvolvido nos bebês.

Portanto, destaco a massagem como algo fundamental para os pequenos, por ser uma forma muito rica de aproximação e de fortalecimento do vínculo entre os pais e a criança. Existem muitos jeitos de massagear um bebê e muitas vezes usamos a nossa intuição como a principal “técnica de toque” fazendo isso de maneira livre e gostosa. Acredito ser esse um dos principais objetivos da massagem: ser um momento de estar presente, envolvido e entregue nessa ação, que acaba gerando uma sensação muito boa para a dupla.

A Shantala é uma das técnicas de massagem para bebês e crianças. Ela traz inúmeros benefícios e acredito que, ao aprendê-la aumentamos o nosso repertório de toque e nos tornamos mais seguras na hora da massagem. Essa técnica tem origem na índia e é derivada do Ayurveda. Ela se tornou mais conhecida através do obstetra francês Frédérick Leboyer da década de 70, quando, em uma viagem ao sul da Índia conheceu essa prática observando uma mãe massageando seu filho. A partir daí ele aprofundou os estudos sobre o toque nos bebês e divulgou a tradição milenar indiana para o resto do mundo.

A finalidade principal dessa massagem é desenvolver a interação e o vínculo mãe – filho/pai – filho. Seu toque sutil e carinhoso é capaz de romper cadeias de tensões, bloqueios, nódulos, prevenindo neuroses e problemas futuros. Sua prática pode trazer também o alivio de cólicas e insônias, equilibrando o bebê física, emocional e energeticamente.  Além disso, auxilia na segurança e na adaptação do bebê para a vida fora do útero.

O toque de amor e o contato proporcionam um momento de troca carregado de significado para pais e filhos. É um momento de transmitir energia e coisas boas para o novo ser que está no mundo.

Quando nos tornamos adultos muitos de nós nos afastamos do contato com nosso próprio corpo, nos distanciamos da percepção do que o ele está “nos dizendo” e do que é saudável para nós. Acredito que o toque, a massagem e o contato são fundamentais para a busca do equilíbrio e consciência corporal ao longo de toda a nossa vida.”