Roda de luto gestacional e perinatal

Roda de luto gestacional e perinatal

Roda de luto gestacional e perinatal

A roda de luto é um espaço aberto para as mães e familiares que procurem algum espaço de apoio e compartilhamento de experiências.

A nossa ideia é acolher essas pessoas que passaram pela perda gestacional e perinatal, muitas vezes até no começo da gravidez (8, 9 semanas por exemplo) e não foram acolhidas e ouvidas, até por conta deste bebê não ter sido considerado como um filho caso tenha sido uma perda precoce.

O tempo de roda é de uma hora e meia, temos uma facilitadora, terapeuta especializada em atendimento perinatal e com experiência em pacientes que passam pelo luto neste período.

Começamos se apresentando, e cada pessoa pode compartilhar o que tiver vontade, ou mesmo somente ouvir, pois a escuta de outras pessoas que passaram pelo mesmo pode ajudar muito neste processo.

Na roda de Maio, que fizemos no final de semana do dia das mães, demos uma lembrança para cada uma das mulheres (tivemos 12 pessoas ao todo participando da roda, inclusive um pai), para se sentirem valorizadas como mães, pois muitas das mães que perdem seus bebês ficam com uma lacuna nessas datas comemorativas. Eu mesma me lembro que ninguém me deu feliz dia das mães no ano em que perdi a Laura, foi um dos dias mais tristes da minha vida, depois do dia em que a perdemos.


SOBRE O “Casa Mães para sempre”

O projeto surgiu em uma noite, logo após eu ter retornado de um retiro de silêncio, naquele momento tudo o que passamos veio em minha mente. Ao mesmo tempo em que revivi toda a dor e o sofrimento da perda da nossa filha, tive a certeza de que poderia ajudar outras mulheres que passaram pela mesma situação a seguir adiante, respeitando o luto e vivendo tudo o que deve ser vivido. A dor e o luto ninguém pode tirar de uma mãe que perdeu seu filho, mas a troca de experiências e o amor de outras mulheres que sofreram o mesmo podem confortar e acima de tudo ajudar neste caminho.

Na época em que perdemos a Laura me senti muito sozinha, mesmo com todo o amor e apoio de familiares e amigos. Desde a experiência no hospital, que foi traumática, onde nos colocaram em uma ala junto com as mães ganhando bebês, felizes, festejando, até o pós parto em que eu procurei ajuda, grupos de apoio, orgãos do governo que cuidassem de mães passando por este momento e não encontrei muitas referências.

Depois do período mais difícil do luto, fui procurar ajuda em um psiquiatra, fui fazer psicoterapia, voltei a fazer yoga e busquei todas as ferramentas possíveis para sair da depressão. Inclusive tomei antidepressivos por mais de 1 ano e nos primeiros meses conseguia dormir somente tomando remédios. Me sinto privilegiada pois tive condições, principalmente financeiras, para conseguir vencer a depressão e superar o luto. Mas fiquei pensando nas mães que não tem essas condições, nas mães que perdem seus filhos na rede pública, nas mães de comunidades carentes.

Foi pensando nessas mães principalmente, e em todas as mães que perderam seus bebês que criei o projeto Mães para Sempre. Acredito que todas as mães tem direito a um tratamento adequado, apoio e ajuda neste momento tão difícil.

 

MISSÃO

O Casa Mães para Sempre é uma organização sem fins lucrativos idealizada por Ligia Aquino, mãe de um anjinho chamado Laura.

Nossa missão é ajudar outras mulheres que passaram pela mesma experiência, em primeiro lugar acolhendo, dando apoio e assistência, principalmente psicológica.

O trabalho consiste em tratar a dor e a depressão através de várias ferramentas dentre elas a psicoterapia, yoga, meditação, reiki, rodas de apoio, conversa e partilha de experiências, acolhimento por doulas, entre outras atividades oferecidas ás mães e pais.

O processo do luto, em todas as suas etapas (raiva, dor, depressão, tristeza, indignação, apatia, etc) deve ser vivido, mas o apoio emocional é uma ferramenta muito importante neste processo. Além do apoio emocional temos certeza de que o amor e a empatia de outras mulheres que passaram pela mesma experiência podem ajudar muito.

O sofrimento e a dor são inevitáveis mas podemos abrir espaço para a saudade, as lembranças, sentimentos bons e novas experiências.

​DATA: Toda 1ª quinta do mês
HORÁRIO: 19:30 às 21:00
INVESTIMENTO: Gratuito, não precisa de inscrição prévia, é só chegar!