Sucesso na Dieta Vegana - Como ficar 1000% Bem?

Sucesso na Dieta Vegana – Como ficar 1000% Bem?

Na matéria de hoje algumas informações para ajudar a melhorar a qualidade da dieta. As informações são úteis, seja você vegano ou não.

Conseguir uma dieta de alto padrão fazendo uso exclusivo de alimentos de origem vegetal é totalmente possível nos dias de hoje, já foi o tempo onde o mito de não conseguir viver 100% bem na dieta vegana foi desmistificado. Exemplos vivos são os Dr. Gabriel Cousens e Dr. Brian Clement, que praticam há mais de 30 anos a dieta vegana e viva e já completaram mais de 70 anos e estão radiantes, estudando, trabalhando, viajando pelo mundo e produzindo material nesta área, sem contar com o fato de serem diretores de centros de saúde, terem família e filhos etc. E o mais importante facilitando que centenas de pessoas possam seguir com sucesso neste tipo de dieta.

 

Dividi este tema em alguns tópicos para facilitar.

Biotipo

Você é um Ser Único. É de extrema importância compreender que cada indivíduo tem uma genética exclusiva e um corpo que é único, portanto necessitando de cuidados especiais, inclusive na dieta.

Solução? Conheça o teu próprio biotipo. Se tiver interesse assine a lista de e-mails do Manual Humano e receba como presente de gratidão testes para conhecer melhor o teu biotipo.

 

Dieta Junketariano

Quanto melhor o combustível melhor é o desempenho, e no caso do corpo humano o desempenho não quer dizer somente boa disposição, energia, alto astral e capacidade mental, mas também incluí a qualidade do material com o qual o teu corpo é construído. Logo se você fizer uma dieta vegana com alimentos industrializados (enlatados, processados quimicamente etc.), refinados (farinha branca, açúcar etc.) e alimentos sem vitalidade, sua dieta será pobre em minerais, vitaminas, enzimas e antioxidantes importantes para o bom funcionamento do corpo, da mente e da consciência.

Solução? Alimente-se com variedade de alimentos (cores e tipos), com bastante alimentos crus, consuma sucos frescos (verdes, vivos etc.), algas, fermentados, alimentos integrais e orgânicos ou selvagens.

 

Proteínas

Testes genéticos tem mostrado que 75% da população precisam de uma dieta com maior quantidade de proteínas e isto pode significar entre 40-60% da ingestão de alimentos deveria ser proteína e apenas 25% da população precisaria de uma dieta com pouca quantidade de proteína (mín. 20% do total da dieta). Claro que existe uma variação enorme de pessoa a pessoa e isto não é um teste clínico, mas genético.

Solução? Primeiro procure saber qual é o teu tempo de oxidação (rápido ou lento) para saber quanta proteína consumir, a chave é poder comer uma refeição e não ficar novamente com fome dentro de duas horas, e sim comer algo que te forneça energia sustentável para as próximas horas (inscrevendo-se na lista de e-mails do Manual Humano você recebe gratuitamente testes para conhecer melhor o teu biótipo). Segundo, utilize as fontes veganas de proteína como por exemplo: quinoa, amaranto, algas spirulina e chlorela, algas marinhas, sementes e castanhas, leguminosas (grão de bico, ervilha, lentilhas etc.) Atenção, para fechar a cadeia de aminoácidos essenciais é necessário consumir variedade de alimentos, comer apenas um ou outro tipo de fonte vegana de proteína pode não fornecer todos os aminoácidos essenciais, mas variar com certeza fornece.

 

Ômegas 3 e Colesterol

As gorduras são essenciais ao corpo e ela está presente em todas as células do organismo, especialmente no cérebro e nos olhos. Dietas com baixa taxa de gordura são extremante perigosas.

No caso dos Ômegas 3 em estudos conduzidos por 5 anos viu-se que quem possuía mais ômegas 3 (8%) em relação a quem possuía menos (4%), quem possuía menos envelheceu mais rápido e a taxa de depressão foi maior. Ômegas 3 (O3) estão relacionados especialmente as funções neurológicas, para citar alguns benefícios de quem tinha níveis otimizados de O3: melhor resposta ao estresse, cognição, memória, clareza mental, controle neuromuscular etc. 85% das mortes prematuras foram reduzidas quando se tinha O3 em níveis otimizados. O3 parecem aumentar o QI das crianças em 13 pontos, previne a depressão, reduz o risco de canceres (próstata, pele e mama), melhora o humor, previne a depressão pós parto e inclusive a bipolaridade.

Sobre o Colesterol, leve isto bem a sério, a dieta vegana pode baixar e muito os níveis de colesterol, e o colesterol além de ser necessário para diversas funções fundamentais (produção hormonal etc.) não é a causa de doenças cardíacas como vem se anunciando nas últimas décadas, a causa das doenças cardíacas é a inflamação do corpo (existem bastante pesquisas comprovando esta afirmação).

Níveis totais de colesterol abaixo de 159 estão relacionados a sintomas de: desequilíbrios emocionais, acidentes, depressão, infarto, suicido, desequilíbrio hormonal, comportamento violento, perda de memória e doença de Parkinson.
Uma pessoa sofrendo de baixo colesterol pode estar mentalmente desequilibrada e totalmente sem libido e potência sexual. Sem vitalidade. Sintoma conhecido em parte dos veganos de longa data que não se cuidam.

Solução? Consumir quantidade suficiente de O3s, por exemplo um adulto normal deve consumir 3 colheres de sopa de linhaça ou chia (recém moída) com 1 colher de óleo de coco para alcançar a taxa otimizada de O3s de cadeia longa, gestantes devem consumir o dobro. Existe a opção de algas douradas, beldroega etc. Não recomendo o uso de óleo de linhaça nem a farinha de linhaça pronta pois os O3s se oxidam extremamente rápido. Sobre o colesterol o ideal é consumir óleo de coco para elevar os níveis.

 

Vitamina B-12, L-Carnitina e outros suplementos

A suplementação de B-12 embora não pareça necessária em todos os casos é uma decisão inteligente pois a falta de B-12 pode causar consequências graves para o cérebro e existem diversos casos onde “de uma hora pra outra” a pessoa “surtou” por deficiência de B-12. Normalmente é necessário 3-6 anos para esgotar o estoque do organismo.

L-Carnitina parece ser bastante escassa no momento na dieta vegana e está relacionada a diversas funções no organismo, sendo válido o teste da versão vegana (obtida através de suplementos criados por fermentação), lembre-se cada organismo é único.

Outros suplementos são interessantes, mas talvez não necessariamente fundamentais, obviamente se você não está dando conta de se nutrir bem suplementos naturais a base de plantas podem te ajudar a estar mais próximo do 1000% de desempenho.

Solução? Faça testes ou tome diretamente suplemento de B-12, existem pastilhas sublinguais ou injeções. L-Carnitina pode ser obtida de fonte vegana em capsulas. Outros suplementos como o nome já diz, suplementam, caso seja o teu objetivo.

 

Estes são alguns pontos e uma versão bastante resumida de tão vasto tema, espero que seja útil.

Gratidão e Super Semana a todos!

 

Gostou? Curta a página do Manual Humano no Facebook e compartilhe com seus amigos.

Paulo Yamaçake: Graduado como Mind Body Practitioner pela MBS Academy (Alemanha), pós-graduando também na MBS Academy. Trabalha realizando cursos e workshops no Brasil e no mundo na área da Saúde Radiante, Alimentação Viva, Desintoxicação, Vitalidade, Rejuvenescimento e a Conexão Corpo-Mente (Método Feldenkrais). Foi parte da equipe do Tree of Life Rejuvenation Center (EUA), dirigido pelo Dr. Gabriel Cousens. Hoje é o diretor do site Manual Humano. Saiba mais sobre Paulo no site www.manualhumano.com.br