Vivência de Mandalas Terapêuticos

Vivência de Mandalas Terapêuticos – Vivenciando e Expressando o Eu Interior

“O Mandala tem por objetivo facilitar a realização da pessoa como ser cósmico e a redescobrir aquilo que ela já é. É como se você morasse numa casa que tem um tesouro muito grande, mas como você não sabe que tem, vive miseravelmente. O mandala abre as portas para o tesouro que existe dentro de sua sua casa que é você mesmo.”

– Leo Matos

Data: 15 de Novembro de 2014
Horário: Das 9 às 17hs

Valor: R$200 (Entrada de R$100 e restante via depósito até o dia 10/11)
OBS: Os materiais para a produção dos Mandalas estão inclusos no valor do evento

Inscrições até 10 de Novembro

 

Mais informações e inscrições: adriana_psicoearte@yahoo.com.br – (11) 9 6368 48 68

 

Programação:

  • 09hs – Café Vegano – Casa Jaya
  • 9h30 – Apresentação
  • 10hs – Dança Circular
  • 10h45 – Relaxamento e Contato
  • 11hs – Processo de criação dos Mandalas
  • 12hs – Encerramento do processo criativo
    Início do processo de imersão
  • 13h30 – Almoço (não incluso)
  • 14h30 – Retorno do Almoço
    Processo criativo com os mandalas: Encontrando novos significados
  • 16hs – Finalização com relaxamento e meditação dirigida
  • 17hs – Encerramento

 

Facilitadora: Adriana Barros, psicóloga clínica graduada pela UNIP, pós-graduanda em Arteterapia pela FACIS.  Atua em consultório particular através da abordagem fenomenológico existencial, atendendo a grupos e, individualmente, a adultos. Realiza Oficinas de Criatividade para mulheres que buscam a auto-descoberta e um modo mais íntegro de estar no mundo.

Através de um embasamento junguiano, tem buscado uma compreensão ampliada sobre o simbolismo dos mandalas e seus potenciais terapêuticos de contato, elaboração e integração de conteúdos internos conflitantes. E soma-se a isso o seu encanto pelas cores, pela arte e pelas potencialidades humanas.

Arteterapeuta em formação, criou a Vivência dos Mandalas Terapêuticos como um encontro vivencial que possibilite aos participantes uma pausa na sinfonia ruidosa e cotidiana da vida contemporânea, para um encontro com o Eu interior de cada participante, através de cores, texturas, sons e sensações, numa oportunidade de vivenciar o Eu autêntico, criativo e íntegro que há dentro de cada um de nós.